Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

16/11/19

Os medronheiros de Monsanto

Medronheiros

Não sei quase nada sobre medronheiros, mas é uma árvore que associo às minhas longínquas férias de verão no interior algarvio, onde abundam. É por isso que foi surpreendente reencontrá-los, agora em Lisboa, em muitos pontos do Parque Florestal de Monsanto.

Medronheiros

Imagino que o medronho seja um prémio para qualquer entusiasta da fotografia de natureza, pela forma como pontua de vermelho o tapete verde e acastanhado de uma floresta no outono.

pedron18-5518-blog.jpg

03/11/19

Acho que os apanhei a todos

Cogumelos na estrada

Tirei centenas de fotografias este fim-de-semana. É um bom indicador, de tempo passado fora de casa, de boa luz e de coisas novas para fotografar. E coisas novas foram às dúzias, como não deixei de partilhar aqui e nas restantes redes. Preciso de uma pausa da "apanha" de cogumelos, é certo, mas foi bom ter algo novo com que me surpreender e desafiar a caminhar por aí. Pensando bem, foi uma espécie de Pokémon GO oferecido pela natureza, edição de Halloween.

Há muitas fotografias para editar ainda, mas deixo-vos com uma engraçada, do que parece ser uma "ninhada" de cogumelos a atravessar a estrada.

Boa semana!

02/11/19

O espetáculo que saiu da terra

Cogumelos em Monsanto

Desta vez, não foi preciso procurar. O espetáculo já estava montado, só faltava o público. Este fim-de-semana, a primeira coisa que saltava ao olhar de quem percorreu os trilhos de Monsanto eram os cogumelos. Cogumelos em todo o lado. Ainda estou a editar e selecionar algumas das centenas de fotografias que tirei, mas era impossível não vir aqui deixar algumas delas.

Cogumelos em Monsanto

Aqui e ali, isolados ou a formar um aglomerado, a partir do solo ou das fendas de um tronco, bastava um olhar distraído para encontrá-los. Nunca tinha visto nada assim e a surpresa foi ainda maior por se proporcionar totalmente por (um feliz) acaso. O Centro de Interpretação de Monsanto, situado no meio do parque florestal, promoveu, esta sexta-feira, um dia aberto ao público, com visitas orientadas e uma mostra fotográfica. Fui motivado pela mostra e achei que a melhor forma de consumar a minha curiosidade passava por ir até lá a pé. Foi assim que tropecei neste festival de vida silvestre.

pedron18-5948.jpg

As fotografias neste post foram tiradas ao longo de dois passeios diferentes nas últimas 48 horas. Como se não bastasse o feito que é escolherem o mesmo fim-de-semana para emergirem da terra (imagino que terá sido a chuva a dar o tiro de partida), em alguns casos fizeram-no, como pude perceber em primeira mão, de um dia para o outro. À exuberância da sincronia, junta-se o efeito surpresa.

Cogumelos em Monsanto

Acima, o maior espécime que encontrei. Se tiverem curiosidade e oportunidade, não deixem de os ir ver ao vivo no bosque mais perto.

 

26/10/19

Outono em Monsanto

Campainhas

Senti-me inspirado pelo blog que descobri na semana passada a partir à procura dos sinais do Outono num dos meus sítios preferidos da cidade, o Parque Florestal de Monsanto. A palete de cores e texturas que encontrei é rica e variada. Há tons de amarelo, como seria de esperar, mas também de verde, encarnado e violeta, como mostram as campainhas acima, que mais parecem turistas perdidas da Primavera.

Folha amarela

Tirei dezenas de fotografias ao longo de dois curtos passeios no sábado e no domingo. Se não fosse a constipação que me sequestrou esta semana, teria voltado mais vezes. Há ali um espetáculo íntimo de pormenores e contrastes a decorrer que recompensa o passo lento e olhar demorado.

Cogumelos junto a árvore

Já mesmo a terminar o segundo passeio, dei por mim a estranhar não ter encontrado cogumelos a crescerem. É uma floresta rodeada pela cidade, mas uma floresta mesmo assim. Bastou dar mais uns passos para descobrir estes três amigos à sombra de uma árvore. São os primeiros que alguma vez fotografei (já com muita pouca luz e alguma vegetação pelo meio) e os únicos que encontrei neste dia.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.