Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

05/04/13

a sinalética do futuro Museu dos Coches

Embora de fora me pareça excessivamente betonoso (a palavra existe?), vou ter de esperar que seja acabado, e de visitar, para me decidir em relação ao edifício que a partir de 2014 vai passar a alojar o Museu dos Coches, em Belém. Para já, a sinalética que está planeada, da autoria do designer António Queirós, e da qual o P3 levanta uma pontinha do véu, surpreendeu-me e desarmou algumas das minhas reservas iniciais apontadas ao projeto do arquiteto Paulo Mendes da Rocha. Diz o P3, sobre a ideia de Queirós para os painéis informativos que vão rodear cada coche:

Com a barreira modular que envolve os coches, António quis atender a vários funcionalidades. Um grupo grande ("é o museu público mais visitado em Portugal") pode ler, em simultâneo, as legendas, que, aliás, estão em várias línguas. Até num banco se pode transformar

Depois do post anterior, ainda vou a tempo de mudar o meu plano B, de operador de câmara em helicópteros para designer de sinaléticas para museus?
É que não me importava de ter no meu portfólio (se tivesse um sequer) alguns dos trabalhos de António Queirós que o P3 destaca. Aguçou bastante a minha curiosidade em relação ao novo museu e a esta área de trabalho, da sinalética, que passa muitas vezes despercebida mas pode ser decisiva a iluminar, literalmente, as linhas e direções de um projeto arquitetónico.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.