Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

26/03/13

notas sobre o Google Reader

Devo ser o último a reagir à decisão do Google de encerrar o seu leitor de RSS em Julho.

O tipo de utilizador que sou: de acordo com o Google Reader, devo estar dentro da média de utilização do serviço, com 181,572 posts lidos desde Dezembro de 2005, e 280 blogs subscritos (um número que tem vindo a diminuir ao longo do tempo, à medida que os meus hábitos de leitura mudam).

Não fiquei chocado ao saber que o Google ia encerrar o serviço, mas fiquei surpreendido com a reação generalizada de descontentamento (sobretudo junto daqueles que dependem mais do serviço: jornalistas, blog-junkies e viciadas em celebrity-gossip servido em colheradas de RSS como a minha irmã).

Como utilizo o Reader há 7 anos: vejo os posts em "List view", como se tratasse da minha inbox do Gmail, de forma a passar rapidamente os olhos pelos títulos dos posts e ter uma ideia do que me interessa ler (surpreendente: posts com títulos interessantes fazem toda a diferença).

O que valorizo no Reader: a rapidez com que o Google vai buscar os posts publicados mais recentemente. Este post é publicado e daqui a alguns segundos já aparece no Reader de quem o subscreve.

Continuo a utilizar o Reader e ainda não sei que serviço vou usar em alternativa, mas aquilo de que gostava mais no Reader enquanto leitor de feeds, e que não vou encontrar noutro serviço, é a permanência e a confiança de ter a marca Google, sem anúncios (paradoxalmente) e distrações.

Respeito o Google por querer definir um rumo para si e para os seus serviços, mas o exemplo do Reader semeia a dúvida: e se um dia o Gmail também deixar de fazer sentido?

Coisas que continuam a importar pós-Reader: ter um bom layout, garantir a legibilidade dos posts e ter posts interessantes.

Coisas que vou procurar em qualquer alternativa: há quanto tempo anda aí (soluções mal amanhadas em dois meses não chegam), possibilidade de ver os itens em modo lista, sistema de favoritos, layout minimalista, capacidade para importar/exportar feeds.

Conclusões: a Internet tira com a mesma facilidade com que dá e a melhor forma de acompanhar um blog continua a ser visitando-o e alimentando o seu dono (com comentários, likes e links).

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.