Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

31/12/15

Alguns livros que me surpreenderam em 2015

Não são necessariamente os meus favoritos do ano, mas são aqueles que causaram algum tipo de sobressalto. Vão daqui recomendados.

 

Saint Exupery, Marcel Migeo (link)

O primeiro livro que me veio parar às mãos em 2015 e um dos mais bem escritos, apesar de se tratar de uma tradução portuguesa já antiga. Migeo fez um ótimo trabalho a desmistificar o aviador, escritor e filósofo em Saint-Exupéry para nos dar a conhecer o homem, com os seus inevitáveis defeitos, e a sua incrível vida.

 

A Condição Humana, André Malraux (link)

Outro autor francês, uma grande surpresa com a pungência de Malraux. O traço que mais me ficou na memória da sua leitura é o nevoeiro da noite.

 

Go Set a Watchman, Harper Lee (link)

Esperava, como antecipa a Vanita, o resultado de um golpe de marketing, mas uma vez lá chegado, tive de entrar no livro e isolar o ruído. Foi um dos poucos livros de que falei aqui no blog, está lá tudo o que penso dele.

 

Capitães da Areia, Jorge Amado (link)

Foi a minha primeira leitura de Jorge Amado e rendi-me completamente à narrativa das aventuras daquelas crianças. No final, sentia-me uma delas e, claro, não queria que ninguém ali crescesse.

 

Segundo Sexo (1ª parte), Simone de Beauvoir (link)

Um livro que marcou o feminismo e que clarifica uma série de coisas à volta da nossa condição atual de homens e mulheres.

 

Sputnik, Meu Amor, Haruki Murakami (link)

O meu primeiro encontro com Murakami e uma excelente impressão inicial. A sua sensibilidade torna o mais pequeno gesto límpido e luminoso.

 

A Máquina de Fazer Espanhóis, valter hugo mãe (link)

Um retrato da velhice sem falsas contemplações e um bom ponto de partida para descobrir a obra de valter hugo mãe.

 

Flores, Afonso Cruz (link)

Uma das últimas leituras de 2015 e um autêntico ramalhete de belas imagens literárias. A curiosidade em relação a Afonso Cruz começou com a apresentação, na Fnac, de "Barafunda", outro livro seu para crianças e logo aí ficou evidente a sua cultura, filosofia e talento para cativar quem o lê.

 

A Possibilidade de Uma Ilha, Michel Houellebecq (link)

Um livro tão provocador que ainda não sei bem, ao final de um mês, o que pensar dele. A ironia e um certo (alguns diriam considerável) desdém pela humanidade aparecem na leitura como um degrau inesperado no caminho. Vamos tropeçar e retomar o caminho como se nada fosse, mas há um incómodo que perdura.

27/12/15

47 minutos e 28 segundos

saosilvestre

Quem segue este blog vai ter de ter alguma paciência comigo por este momento de vanglória, mas estou mesmo muito contente com o tempo que alcancei ontem, na corrida de São Silvestre Lisboa (10km que percorrem a Baixa da cidade). Não pensei mesmo que iria conseguir melhorar substancialmente sobre o tempo do ano passado (52m), especialmente com a dor de burro que me atingiu logo aos 3 quilómetros (cometi o erro de ingerir água muito cedo na corrida).

Não me sinto à vontade no meio de grandes multidões, por isso ao longo do ano só participo em duas provas de corrida, a Meia Maratona da ponte 25 de abril e São Silvestre. Ambas têm um ambiente muito próprio, a começar pela temperatura do ar, e tiram o máximo partido da cidade de Lisboa, que é o meu principal motivo para participar e as recomendar a toda a gente que conheço. É uma experiência ótima e, no caso da São Silvestre, uma das poucas oportunidades para descer a correr pela estrada a avenida da Liberdade.

Fica o recorde pessoal, que não queria deixar de registar aqui :)

Captura de ecrã 2015-12-27, às 10.46.09.png

 (foto: São Silvestre Lisboa)

23/12/15

Pai Natal, se estiveres a ler...

wishlist2015.jpg

Esta é a minha wishlist para o Natal deste ano (um bocadinho em cima, eu sei):

1- A Arte de Star Wars: O Despertar da Força: ajudou entrar na sala de cinema com baixas expetativas, mas a verdade é que vibrei com o novo episódio da saga. Cruzei-me com este roteiro visual do filme na Fnac, já com edição portuguesa, e adorava poder apreciá-lo com mais calma.

2- Bon Iver, de Mark Beaumont: fui o último a saber, mas existe um livro que conta a história do meu projeto musical preferido.

3- Philips Hue Go: um gadget, para não serem só livros e cultura (uma lâmpada LED que pode ser controlada com qualquer smartphone).

4- Flores, de Afonso Cruz: comecei o livro há pouco tempo, depois de ler as críticas positivas nos blogs, e está a ser uma revelação. Gostava que o livro fosse meu, para poder sublinhar algumas passagens, cada vez mais belas e frequentes à medida que avanço na leitura.

5- Vitória, de Joseph Conrad: sou fã de Conrad, mas dele só tenho lido ebooks gratuitos em inglês. Esta tradução despertou a minha curiosidade.

6- Cartão Maria & Luiz, para assistir a mais teatro em 2016.

 

Mais ideias nas wishlists dos Natais passados: 2013, 2012, 2010 e 2009.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.