Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

horizonte artificial

ideias e achados.

Vamos a isto

10.01.15

letsrunlisboa.jpg

5 apps de 2014

27.12.14

Hoje voltei a conseguir correr 10km, mas isso vai ter de esperar por outro post. Há exatamente um ano escrevia aqui sobre as apps que mais usei ao longo de 2013 e as coincidências são do melhor quebra-posts que há para um blog irregular como o meu. Aqui vão, portanto, as minhas 5 apps mais usadas de 2014.

 

IMG_1381.PNG

 

 

Goodreads

Comecei o ano com a resolução de ler (educar-me, distrair-me, desafiar-me) mais e o Goodreads ajudou-me a cumpri-la. O desafio de ler "x livros" serviu para definir o objetivo, mas a app aparece logo ao abrir do home screen por outra razão: tornou-se o meu bookmark virtual. Pode parecer estúpido, mas comigo, uma app funciona melhor do que um marcador de papel, que passo a vida a perder de qualquer modo. Além disso, foi através da app que fui descobrindo e me foram sendo recomendados alguns dos livros de que mais gostei de ler em 2014.

 

iBooks

Outra entrada nova no home screen relacionada com leitura. Naqueles casos em que o livro está disponível gratuitamente, ou que fica mais barato em formato ebook, descobri que consigo ler sem problemas um livro no pequeno ecrã do iPhone.

 

Spendee

Custou 2 euros na altura, mas é a melhor app que descobri, e por isso passei a usar, para registar e analisar despesas.

 

Lisboa Move-Me

Apesar de tudo (do nome estranho e de alguns problemas de usabilidade), continuei a usar esta app em 2014 para me movimentar melhor por Lisboa na rede de autocarros da Carris. Há muito espaço para melhorias, e se eu fosse a Carris, começaria a trabalhar numa app própria, com mais valências.

 

Things

Uma entrada nova na lista, mas, devo confessar, não tão utilizada quanto possa parecer, apesar do posicionamento. O Things é uma excelente aplicação para fazer e gerir listas de to-do's e afins que tem a vantagem de poder ser sincronizada com uma aplicação desktop - apenas Macs, infelizmente, o que pode explicar a minha utilização irregular (uso um Windows durante boa parte da semana).

os outtakes de 2014

24.12.14

Os momentos de 2014 que por algum motivo (os mais frequentes: falta de WiFi, má qualidade e preguiça) não foram instagramados ou blogados. Todas as fotografias feitas com um iPhone. (os outtakes de 2013 estão aqui)

 

 

wishlist: Star Wars Storyboards: The Original Trilogy

14.12.14

1dfe_star_wars_storyboards_original_trilogy.jpg

Encontrei esta maravilha à venda na Fnac e foi precisa muita força interior para resistir a trazê-la para casa. É o livro ideal para ir passando o tempo até ao próximo dezembro (provavelmente a coisa mais longínqua que tenho debaixo de olho no meu calendário) e descobrir a fórmula que gerou a trilogia mais adorada do cinema.

o vídeo mais extraordinário que vi nos últimos tempos

03.12.14

airbus.png

A Airbus quis mostrar ao mundo o seu novo modelo A350-900 e o resultado é um vídeo promocional assombroso, que mostra cinco aeronaves a voarem em formação e impossivelmente perto umas das outras. Um feito técnico conseguido com muito trabalho de planeamento e de equipa, como o vídeo começa por mostrar, e muita majestade.

Lançamento

04.10.14

Nunca pensei que pudesse experimentar tantas sensações físicas sentado a uma secretária, frente a um ecrã de computador. Já tinha passado por outros lançamentos de funcionalidades antes no trabalho, mas esta semana foi diferente: no fim do dia, sou eu que tenho de explicar as mudanças feitas.

 

Apesar de já saber o que me esperava, nada nos prepara para a avalanche de feedback (e emoções) que acionamos ao mexer com os hábitos e gestos de outros seres humanos, que reajem (surpresa!) como humanos. E depois percebemos que essa onda de neve vem na nossa direção. Felizmente, no nosso caso, o lançamento passou sem bugs ou problemas graves, mas até as coisas mais pequenas conseguem ganhar grandes proporções para quem está familiarizado com um botão ou gesto. Podem mudar, ampliar e remodelar a casa toda, mas deixem de fora aquele cabide atrás da porta, e é garantido que é nisso que o vosso cliente vai reparar ao entrar.

 

Em termos de usabilidade, sociologia e comunicação (pela forma que temos de encontrar de apresentar, explicar e envolver as pessoas na mudança), é uma experiência fascinante e que exigiu, a nível pessoal, tudo o que aprendi nos primeiros anos deste trabalho com uma das melhores profissionais neste ramo.

 

Mexer com a tensão arterial não é uma coisa boa, mas há uma parte de mim (a maior, para dizer a verdade), que delirou com o desafio. E isto só é possível quando temos 101% de convicção de que, se pudéssemos voltar atrás no tempo, só faríamos mais e nunca menos. Caramba, se não faria mais! :)

 

Agora vou ali sofazar, pôr séries em dia (Veep, vejam a Veep, a sério) e tentar parar de consultar o meu e-mail a cada 5m.

O privilégio

01.10.14

Tenho a vista cansada, com os olhos aos tremeliques, mas tinha de vir aqui e registar este dia com um post (só meu, sem tentativas de ter graça).

 

O dia hoje no SAPO foi enorme e marcado pelo lançamento de uma nova marca, nova homepage, nova área de conteúdos lifestyle, novas aplicações, nova área de ajuda e, sim, uma nova área de edição e personalização nos Blogs, onde trabalho.

 

São as últimas peças de um puzzle que está a ser contruído há meses no SAPO e foi incrível assistir à junção dessas peças nos últimos dias. O resultado está finalmente à vista de todos e só pode despertar curiosidade em relação ao futuro do SAPO.

 

Pela minha parte, estou muito orgulhoso pelo que conseguimos fazer para melhorar a experiência de quem tem blog no SAPO.

 

A homepage e todas as páginas da área de gestão foram redesenhadas e parecem laminadas, tão polido e funcional é o design da Isa. Escrever neste editor espaçoso é um prazer e só convida a escrever mais e mais (mérito do Jonatas). Mudar e personalizar um template é imediato e facílimo, tal e qual como o Sérgio prometeu que seria. E está tudo a funcionar, sem problemas graves, muito devido à atenção e zelo do Francisco. E depois ainda há o Vítor, que maquetou, questionou e testou tudo. A Teresa que coordenou, a ajuda do Tiago e do Mário. A Treza que testou, a Jonas que nos deu confiança, o Bernardo que fotografou, etc, etc.

 

Podia continuar a referir nomes próprios que provavelmente não vão dizer muito aos poucos que ainda não tiverem desistido aqui do horizonte. Mas a conclusão a que quero chegar é esta: esta malta trabalha toda no mesmo sítio. E isso não é um acidente. Foi e continua a ser um privilégio trabalhar com estas pessoas.

 

Hoje dou graças por esse privilégio.

Plim, a nova app da Caixa

13.05.14

 

O Plim é uma nova app da Caixa Geral de Depósitos que permite pedir e receber pequenos pagamentos de amigos ou conhecidos usando os contactos do smartphone. Apanhei a referência à nova app no twitter da Meios & Publicidade, pus logo o vídeo explicativo a correr e bastaram os primeiros segundos para perceber o potencial da aplicação. Ainda não deu para testar com ninguém, mas se funcionar tão bem quanto o vídeo sugere, é algo que me vejo a usar no meu dia-a-dia, sobretudo naquelas situações em que temos um amigo a comprar qualquer coisa por nós e não temos imediatamente como lhe pagar de volta.

 

Não faço ideia de quanto tempo demorou a desenvolver e vender isto à CGD (segundo a Meios & Publicidade, o desenvolvimento esteve a cargo da Innovagency, Armis e IT Sector), mas adorava saber mais. Por outro lado, mostra bem como estamos necessitados de inovação na área dos pagamentos. Os bancos, para começar, estão numa posição privilegiada: são os melhores colocados para puxar por mais inovação e o maior obstáculo a colocar-se no seu caminho. Pode ser que aqui o Plim venha ajudar a mudar isso.

livros: à solta na Estufa Fria

10.05.14

 

No meio da vegetação da estufa fria, eis que surge um pequeno e alvo móvel cheio de livros, a fazer lembrar uma cena saída da série televisiva Lost.

 

 

Trata-se de uma zona oficial de bookcrossing, assinalada por um cartaz a chamar a atenção para LIVROS GRÁTIS. Uma proposta a que é difícil resistir.

 

 

Trouxe estes dois. Li "A Peste Escarlate" num ápice e tratei de o "abandonar" no banco de um comboio. Infelizmente, o site do Bookcrossing parece estar em piloto automático e não consigo registar-me para poder fazer o "check-in" dos livros. Não sei se sou o único com este problema, mas não encontro mais ninguém a queixar-se. O importante parece mesmo ser disfrutar dos livros.

 

Dica extra: visitar a Estufa Fria é grátis ao domingo de manhã.

horizonte: três rainhas no Tejo

08.05.14

 

Já foi na terça-feira, mas não queria deixar de partilhar uma das fotografias que consegui fazer da passagem por Lisboa das três "Queen" da Cunard. Gosto de viver numa cidade em que a passagem de três super navios ainda é considerado um evento, com direito a ser notícia no dia anterior à sua chegada e capaz de mobilizar quase todos os fotógrafos amadores da cidade, numa competição não-oficial pelo melhor ângulo panorâmico dos três gigantes no Tejo (o prémio, já agora, vai para esta fotografia de António Alfarroba, feita a partir do topo do arco da Rua Augusta).